quarta-feira, 18 de abril de 2012

Grávidas da China podem ser impedidas de dar à luz em Hong Kong


Do R7
Hong Kong poderá impedir mães vindas da China de dar à luz em hospitais públicos no próximo ano para diminuir a superpopulação nas maternidades locais, informou o chefe de saúde da cidade, York Chow.
Desde que passou para o domínio chinês em 1997, Hong Kong tem se beneficiado da sua crescente integração com a China. No entanto, o acesso irrestrito dos chineses aos serviços públicos da cidade densamente povoada também causou tensões sociais.
                    
"Agora, esperamos que em 2013 todos os serviços obstétricos dos hospitais públicos possam ser reservados para grávidas locais", disse Chow a repórteres.

Os comentários foram feitos depois que o líder eleito do centro financeiro, Leung Chun-ying, afirmou que os hospitais privados devem barrar mães chinesas e seus recém-nascidos não poderão mais pedir residência permanente na cidade.

"Se elas entrarem com pedido agora e se prepararem para vir a Hong Kong no próximo ano para ter seus bebês, muito provavelmente seus bebês não terão status de residente permanente em Hong Kong, porque, quando eu assumir o cargo, certamente vou trabalhar nisso", disse Leung à Hong Kong Cable Television, em entrevista nesta terça-feira.

Leung foi escolhido em março para suceder Donald Tsang por um comitê eleitoral de 1.200 membros, sendo a maioria pró-Pequim, em uma votação manchada por escândalos e denunciada por manifestantes como tendo a influência de líderes de Pequim nos bastidores.

Postar um comentário

Na Realiza Cursos tem a profissão que coloca você no mercado de trabalho!