quinta-feira, 5 de abril de 2012

Imóvel não valoriza em Salvador e desacelera no País


Por Redação
O preço médio do metro quadrado dos apartamentos prontos em seis capitais do País e no Distrito Federal subiu 1,4% em março na comparação com fevereiro, de acordo com o Índice Fipe Zap. Houve redução, entretanto, no ritmo de alta dos preços em cinco das sete regiões pesquisadas no período. Em Salvador, o índice não se alterou no período e o valor médio do metro quadrado se manteve em R$ 3.688, ocupando a última posição de valorização do ranking.
O resultado nacional aponta para uma tendência de desaceleração no aumento dos preços. Em 12 meses até março, a variação acumulada foi de 24,8%, ante 25,5% em fevereiro. Esse movimento é nítido nos dois principais mercados imobiliários do País. Em São Paulo, por exemplo, os preços subiram 1,3% em março, depois de terem aumentado 2,5% em fevereiro. No Rio, a alta foi de 1,4% no mês passado. Em fevereiro, as cotações tinham subido 2,6%. Somente houve aceleração dos preços nas praças de Belo Horizonte, de 2% em fevereiro para 2,6% em março, e no Distrito Federal, de 1,5% em fevereiro para 1,7% no mês passado, conforme a pesquisa.
"A desaceleração dos preços de venda dos imóveis prontos é uma tendência, mas não é preocupante", afirma o coordenador do levantamento, o economista Eduardo Zylberstajn. Ele destaca que o movimento não preocupa porque não se trata de uma reversão, mas de um ajuste.
Com o aumento da oferta do crédito imobiliário com prazos mais dilatados e taxa de juros menores, a procura por imóveis aumentou e os preços subiram. O que se vê agora é uma desaceleração no ritmo de vendas e a perda de fôlego dos preços.
Ele não acredita que ocorra queda nas cotações e a perspectiva é de que elas se estabilizem em níveis elevados. "O que houve nos últimos meses é que, para determinado nível de preços, menos gente pode comprar imóveis". Esse comportamento freia a escalada da valorização, mas não provoca queda.
"Não deveremos ter variações mensais de preços na faixa de 2% a 3%, como ocorria no passado", prevê Zylberstajn. No mês passado, o preço médio do metro quadrado dos apartamento prontos anunciados nas sete regiões pesquisadas foi de R$ 6.446. Os imóveis localizados no Distrito Federal lideraram o ranking das cotações, com R$ 8.100. Em seguida está o Rio de Janeiro, com cotação média de R$ 7.796; São Paulo com R$ 6.295 e Recife com R$ 5.122. As três últimas posições no ranking de preços do metro quadrado são ocupadas por Belo Horizonte (R$ 4.735), Fortaleza (R$ 4.410) e Salvador (R$ 3.688).
Os maiores preços na cidade do Rio de Janeiro foram registrados no Leblon, onde o metro quadrados dos imóveis residenciais vale R$ 17.448, e em Ipanema, com uma cotação de R$ 16.405. Na cidade de São Paulo, os preços mais altos foram captados nos bairros do Ibirapuera e da Vila Nova Conceição, onde o metro quadrado custa R$ 9.913, e no Jardim Paulistano, onde a cotação está em R$ 8.749.
Com relação ao aluguel, a pesquisa da Fipe Zap mostra que a relação entre o valor do aluguel e o preço do metro quadrado de um imóvel pronto permanece estável, na faixa de 0,5% ao mês em São Paulo e de 0,40% no Rio. (com informações de O Estado de S. Paulo)

Postar um comentário

Na Realiza Cursos tem a profissão que coloca você no mercado de trabalho!