segunda-feira, 30 de abril de 2012

Mais de 30% pediram demissão nos dois primeiros meses deste ano


Pesquisa revelou que os principais motivos para o pedido de demissão foram: proposta melhor de trabalho e salário maior. Saiba qual é o momento certo para mudar de emprego e pedir aumento.

Veruska Donato

Apenas nos dois primeiros meses de 2012, 30% dos trabalhadores pediram demissão voluntariamente. Os números são resultado de pesquisa feita pela Catho Online com mais de 46 mil pessoas.

O estudo revelou também que 55,5% dos trabalhadores já tiveram de dois a cinco empregos e 64,7% pediram demissão em algum momento da carreira. Os principais motivos foram: proposta melhor de trabalho (33,8%) e salário maior (15,2%).

O salário é uma das principais motivações que leva alguém a pedir demissão, mas, segundo especialistas, não pode ser a única. O analista de produção Afonso Pereira escolheu a carreira de engenheiro depois de uma experiência ruim. Ele trabalhava em um supermercado e lidava diretamente com o público. “Você fica sem ânimo, sem empolgação. Eu acabei não gostando muito desse ramo de lidar com cliente esegui outro rumo, o da engenharia”, conta.
 “A tendência do mercado é trabalhar com ciclos anuais. Se passou um ano e o profissional não teve um feed back positivo e não tem perspectiva de crescimento, ele deve procurar se desenvolver mais para crescer dentro da própria empresa ou buscar fora alguma oportunidade que já esteja mais próximo do que ele faz hoje”, afirma Lucio Tezotto, consultor.
Quando a situação está complicada, o próprio corpo já começa a dar sinais de que é hora de mudar. Os primeiros sintomas são cansaço, dificuldade para acordar no dia seguinte, passar a não sair muito aos finais de semana e ficar em casa descansando. Depois, a pessoa começa a sentir dores no corpo, na cabeça e vista cansada.
“O adequado é que tenha um salário maior, com um ambiente de trabalho que você possa desenvolver o que foi buscar quando saiu da empresa anterior. Pode ser um crescimento profissional, pode ser um desafio ou mudar de área. Tem que conciliar salário com uma outra motivação”, orienta Tezotto.
Os trabalhadores que já encontraram essa motivação e decidiram continuar no emprego, podem questionar um aumento no salário. De acordo com o consultor, é preciso ter argumentos para tal pedido: “Tem que deixar claro para o chefe, com dois, três dias de antecedência, que você quer discutir a sua remuneração. Assim, ele tem tempo também de preparar uma reunião só os dois. Não é para levar a equipe inteira”.
Postar um comentário

Na Realiza Cursos tem a profissão que coloca você no mercado de trabalho!