quinta-feira, 19 de novembro de 2015

MOEMA GRAMACHO DEVE RECEBER O APOIO DO EX-ADVERSÁRIO JOÃO LEÃO

Por Hieros Vasconcelos Rego

Está cada vez mais acirrada a disputa para eleição municipal em Lauro de Freitas no próximo ano. Com cerca de 200 mil habitantes – 155 mil eleitores, conforme dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) –, o município é um dos mais importantes do estado, com arrecadação prevista para este ano de meio bilhão de reais. Atualmente, a cidade é governada pelo prefeito Márcio Paiva (PP), eleito em 2012 com 53,2% dos votos, no entanto, sua avaliação nos últimos meses tem sido muito negativa e as chances de ganhar cada vez menores. Isso porque já tem se tornado claro no cenário que  a deputada federal Moema Gramacho (PT) vai entrar com tudo na jogada e desta vez, ela contará com um forte apoio, que é do vice-governador da Bahia, João Leão (PP).

Leão era  aliado do atual alcaide, mas sua má avaliação, associado ao naufrágio nas alianças – oito partidos o abandonaram – teria feito o comandatário do PP na Bahia a apoiar Gramacho, que já foi prefeita duas vezes do município. Em 2012, a petista não conseguiu emplacar o seu sucessor, João Oliveira (PT), que obteve 46,2% dos votos, derrotado por Márcio Paiva.  A disputa também envolverá Mauro Cardim (PRB) e Manuel Carlos, conhecido como Carlucho (PSB), vereador da cidade.

Mas quem pensa que o atual alcaide vai entregar as chuteiras assim facilmente, está enganado. Nos bastidores políticos, afirma-se que Paiva, indeciso, também pode surgir com uma estratégia para não perder a prefeitura do município. Partiria do fato dele renunciar seis meses antes da eleição e, dessa forma lançar a esposa, Adriana Paiva, filiada ao PRB recentemente. 

Conforme já explicado à Tribuna da Bahia pelo advogado eleitoral Ademir Ismerim, a lei que trata de inelegibilidades (Lei 64/90) permite a troca. “Se um prefeito estiver no primeiro mandato, ele renunciando seis meses antes, a mulher pode concorrer. Se ela ganhar, não poderá disputar a reeleição [quatro anos depois]”, explicou. Em Lauro de Freitas, caso Márcio Paiva renuncie em janeiro, quem assume o município é o seu vice Bebel Carvalho (PSL). Além de Paiva ou a sua mulher, outros três nomes despontam como possíveis candidaturas. O PRB é da Igreja Universal do Reino de Deus, que conta com grande presença na cidade vizinha à capital baiana.

Os perfis dos políticos que pretendem se candidatar são extensos e apresentam trajetória política considerável na cidade. Outro nome que aparece dentro da lista de partidos aliados ao governador da Bahia, Rui Costa, é  Carlucho. Manuel Carlos, por exemplo, está em seu segundo mandato no legislativo de Lauro de Freitas e tem por sua vez uma aproximação com a senadora Lídice da Mata (PSB) e com a deputada estadual Fabíola Mansur (PSB).

Os três  costumam aparecer com certa frequência em fotos.  Ele já comandou a secretaria municipal de Educação no governo Moema Gramacho e tenta viabilizar sua postulação. Já o mais novo  democrata Chico Franco é tido como um dos preferidos do prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), além de contar com o apoio do deputado federal e presidente do DEM na Bahia, José Carlos Aleluia, e do deputado federal Paulo Azi. Ele  era filiado ao PCdoB.

Fonte: www.camara.gov.br

Postar um comentário